Est. June 12th 2009 / Desde 12 de Junho de 2009

A daily stopover, where Time is written. A blog of Todo o Tempo do Mundo © / All a World on Time © universe. Apeadeiro onde o Tempo se escreve, diariamente. Um blog do universo Todo o Tempo do Mundo © All a World on Time ©)

terça-feira, 21 de Outubro de 2014

Nos Campeonatos da Europa de Atletismo, em Zurique, com os relógios Omega


Reportagem em Zurique, nos Campeonatos Europeus de Atletismo, onde a Omega foi Cronometrsita Oficial. Fora de Série Especial Relógios, acompanhando a edição de 17 de Outubro de 2014 do Diário Económico.

Chegado ao mercado - relógio Seiko Premier 7D Kinetic Perpetual


Seiko Premier 7D Kinetic Perpetual. Calibres híbridos, de quartzo mas sem pilhas, alimentados pelo movimento, como se fossem automáticos. Indicação de data, mês, ciclo de ano bissexto e GMT em submostrador de 24 horas. Caixa de 41,5 mm, de aço, estanque até 100 metros. Vêm num estojo especial, que inclui um mini-decanter. Todas as versões têm PVP de 795 €


Janela para o passado... telefones móveis Siemens, em 1993

Publicidade relógios Seiko, 1999


(arquivo Fernando Correia de Oliveira)

Chegado ao mercado - relógio Blancpain Ocean Commitment Bathyscaphe Chronographe Flyback


Há dias, o Presidente e e CEO da Blancpain, Marc A. Hayek, apresentou uma edição especial do relógio Ocean Commitment, que passará a fazer parte de uma linha de edições limitadas. Cada comprador fica automaticamente a pertencer ao Ocean Commitment Circle, contribuindo assim para o esforço da Blancpain na defesa do meio-ambiente oceânico, através de uma doação especial feita por cada relógio comprado.

Primeiro de uma série, o novo Ocean Commitment Bathyscaphe Chronographe Flyback é limitado a 250 exemplares. A Blancpain compromete-se a doar mil euros por cada relógio vendido, destinados a várias iniciativas.

Bathyscaphe é um nome lendário na Blancpain. Três anos depois do lançamento do Fifty Fathoms original, em 1953, a Blancpain introduziu o Bathyscaphe, com um diâmetro mais pequeno e como alternativa de um relógio de mergulho que pudesse ser usado no dia-a-dia. Com o passar dos anos, o Bathyscaphe evoluiu em paralelo com o Fifty Fathoms.

O Ocean Commitment Bathyscaphe Chronographe Flyback é um cronógrafo automático de roda de colunas e embraiagem vertical, com flyback, calibre da manufactura (F385, de alta frequência - 5 Hz - 36.000 vibrações por hora, espiral de silício, rotor unidireccional, de cerâmica). Tem caixa de 43 mm, de cerâmica cinzenta, com caixa interior de ferro macio, para resistir aos campos magnéticos. Coroa e botões de enroscar. Estanque até 300 metros.

O relógio vem acompanhado de um exemplar do livro Fifty Fathoms The Dive and Watch History 1953-2013, editado pela Blancpain.

Conjuntura - desaceleração acentuada das importações de relógios suíços por parte de Portugal


Nos primeiros nove meses do ano, Portugal importou menos 12,5 por cento em valor de relógios provenientes da Suíça, sendo mesmo assim o seu 23º mercado.

Depois de anos ininterruptos de crescimento na importação de relógios, numa aparente indiferença face à crise, desde há dois meses que o arrefecimento na procura está a tornar-se claro no mercado nacional. Com a compra de relógios por parte dos portugueses muito afectada pelas condições económicas, a procura, especialmente de peças caras, tem-se resumido a estrangeiros, especialmente angolanos, brasileiros, russos e chineses. E, desses, a esmagadora maioria no eixo do luxo da capital, a Avenida da Liberdade. Segundo as últimas indicações, e nomeadamente devido ao preço do petróleo, as compras por parte de angolanos têm vindo a diminuir.

No mês de Setembro, comparado com Setembro de 2013, a quebra ainda foi mais acentuada - 58,1 por cento em valor.

Em termos gerais, as exportações suíças continuam a crescer, tendo registado nos primeiros nove meses do ano um aumento de 2,8 por cento em valor face a período homólogl do ano passado.

Meditações - a eternidade não existe

A eternidade não existe. Um dia o planeta desaparecerá e o universo não saberá que nós existimos

José Saramago

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Uma marca de relógios do grupo LVMH terá brevemente um smartwatch



Jean-Claude Biver, há um ano, na Desalpage do seu efectivo pecuário, na Suíça

O maior grupo de luxo do mundo, o LVMH Moet Hennessy Louis Vuitton anunciou estar a considerar a criação de um smartwatch para uma das suas marcas, em cooperação com uma empresa tecnológica. A informação foi dada por Jean-Claude Biver, Presidente da divisão de Relojoaria do LVMH. "Talvez dentro de nove meses tenhamos um smartwatch", disse ele, citado pelo The Wall Street Journal. O LVMH detém marcas como Hublot, Zenith, Bvlgari ou TAG Heuer, mas Biver recusou especificar qual delas avançará para o smartwatch. Lei mais aqui.

Chegado ao mercado - relógio Casio G-SHOCK GBA-400, um smart watch para ouvir música


A Casio Computer Co., Ltd., anuncia o lançamento do mais recente elemento da linha de relógios resistentes ao choque, G-SHOCK. O G-SHOCK GBA-400 emparelhado com um smartphone oferece uma variedade de funções que permitem que se desfrute ao máximo da música tais como definição de configurações de áudio, adicionar efeitos ao vivo que simulam o som de concertos e identificação de nomes de músicas que estejam a tocar nas proximidades (utiliza a tecnologia da SoundHound Inc. para identificar os nomes das músicas).

Em 2012, a Casio lançou um relógio G-SHOCK que emparelha com um smartphone usando a tecnologia Bluetooth® Smart e que notifica o utilizador sobre chamadas ou e-mails recebidos. Desde então, a Casio lançou uma variedade de relógios equipados com Bluetooth® Smart, incluindo um relógio G-SHOCK, que controla um leitor de música e relógios desportivos que mostram dados de fitness.

O novo relógio G-SHOCK GBA-400 oferece conectividade Bluetooth® Smart e recursos amplamente alargados para desfrutar de música (Requer a instalação da G-SHOCK+ App e G’MIX App no smartphone).

Quando emparelhado com a G’MIX App, uma nova app de música para smartphones, pode controlar configurações de áudio, adicionar efeitos ao vivo que simulam o som de um concerto e identificar nomes de músicas que estejam a tocar nas proximidades e depois mostrar o nome da música no mostrador digital do relógio G-SHOCK.

A identificação da música pode ser acionada remotamente, girando o botão rotativo no relógio, sem ter de tocar no smartphone. Ao operar os botões do relógio, o utilizador pode acionar sons predefinidos ou personalizados num smartphone emparelhado – uma das várias formas disponíveis do relógio que permite aos utilizadores jogar com o som, ouvir e identificar músicas.

Smartphones Compatíveis: iPhone 5s (iOS7), iPhone 5c (iOS7), iPhone 5 (iOS7), iPhone 4s (iOS7) GALAXY S5 (Android 4.4), GALAXY Note3 (Android 4.3), GALAXY S4 (Android 4.3).

Estanque até 200 metros. Comunicação Standard Bluetooth® Smart.  Alcançe do sinal até 2m (pode variar dependendo das condições envolventes). Funções do relógio: Hora Mundial 100 cidades (35 fusos horários, horário de verão on/off) e Tempo Universal Coordenado (UTC); 5 alarmes diários ou alarmes one-time (com 1 alarme snooze); sinal hora a hora; cronómetro 1/100-segundos; capacidade de medição:999:59'59.99"; Tempo decorrido, tempo parcial, tempo dos 1º e 2º lugares Temporizador Precisão de ajuste: 1 segundo; máximo de 100 horas por; unidade de medida: 1/10-segundos. Luz LED (super illuminator e afterglow); duração da iluminação selecionável:1.5 ou 3.0 segundos

Outras características Ligação móvel; calendário automático, formato das horas 12/24; botão do som on/off; aviso de bateria fraca; alerta com flash (flashes que assinalam alarmes, sinais hora a hora, final da contagem regressiva); função de deslocação do ponteiro; modo de avião. Precisão em temperatura normal: ±15 segundos por mês Vida útil da bateria aprox. Aprox. 2 anos. Ligação móvel usado 2 horas por dia Tamanho da caixa: 55.0×51.9×18.3mm. Peso Total Aprox. 66g


Janela para o passado... telefones móveis Siemens, em 1993

Relógios Chronoswiss apoiam Freedom Project, de renaturalização de águias


A Chronoswiss está a apoiar o Freedom Project, dedicado à restituição à natureza de águias de cauda branca na Suíça e em França.

Há dias, houve em Paris um evento de restituição à natureza de alguns exemplares, dirigido pelo falcoeiro e fundador do Freedom Project, Jacques

Travers está a desenvolver um projecto em filme - actualmente o documentário tem 90 minutos - usando em algumas ocasiões camaras instaladas nos dorsos das águias.

Relógio Lego, 1999


(arquivo Fernando Correia de Oliveira)

Chegado(s) ao mercado - relógios Emporio Armani


Emporio Armani. Calibres de quartzo, caixas de aço ou aço rosa. PVP: respectivamente 199€ e 229€


Revista do dia - Watch Around Authentic Swiss watchmaking nº 18

Chegado(s) ao mercado - relógios Marc Jacobs by Marc Jacobs


Marc Jacobs by Marc Jacobs. Calibres de quartzo, caixas de aço rosa. Bracelete de pele. PVP: 195€

Chegado ao mercado - relógio Guess Time to Give


Guess Time to Give. Calibre de quartzo, caixa de aço dourado, cristais na luneta. PVP: 149€

Insere-se na iniciativa “Faces to Watch ─ Time to Give”. Em 2006, a Guess Watches iniciou o programa de solidariedade “Faces to Watch ─ Time to Give”, com o objectivo de melhorar a saúde, bem-estar e as necessidades educacionais das crianças de todo o mundo. Desde a sua criação, a Guess Watches e os seus parceiros em todo o mundo angariaram mais de 5,5 milhões de dólares para apoiar 11 instituições em todo o mundo. A maior parte das doações é gerada através da venda de uma Edição Especial anual de um relógio. Este ano, as doações serão distribuídas por dois projectos sociais na Coreia do Sul.

Os embaixadores e amigos das marcas ajudam a vender relógios?


Artigo de análise sobre o uso de figuras públicas na comunicação das marcas de relojoaria. No Fora de Série Especial Relógios, suplemento da edição de 17 de Outubro de 2014 do Diário Económico.

Marcas investem maciçamente em personalidades

Embaixadores, sim ou não?

Fernando Correia de Oliveira, em Genebra

“Isto agora vai mudar”, garantia-nos há um ano o executivo de uma grande marca relojoeira. “Duvido da eficácia dos embaixadores, o consumidor raramente o liga à marca, comigo o produto estará a partir de agora à frente na comunicação”. Meses depois, fazia um dos contratos mais caros de sempre da empresa, com uma personalidade global.

O caso, verídico, prova que, apesar de tudo, a táctica de associar nomes de pessoas conhecidas a marcas continua a ser usada. Mesmo sabendo-se que o consumidor está afogado em mensagens, que a confusão é total e que, na hora da compra, poderá não saber bem quem é que representa o quê. Mas vamos á raiz da estratégia.

A 7 de Outubro de 1927, Mercedes Gleitze foi a primeira britânica a atravessar a nado o Canal da Mancha. Houve dúvidas sobre o tempo que fez, quando uma norte-americana disse, quatro dias depois, ter reclamado um tempo mais rápido. Gleitze, rodeada de um grande interesse dos jornais, realizaria a 21 de Outubro aquilo que seria baptizado como “The vindication swim” (a travessia da vingança). O bávaro Hans Wildorf, que em 1905 tinha fundado, em Londres, a Rolex, e que em 1926 tinha lançado um relógio com caixa hermética, o Oyster, interessou-se pelo evento e ofereceu a Gleitze um Rolex Oyster, que ela usou durante a travessia de mais de dez horas, num fio pendurado ao pescoço, e com água muito fria. Partindo de França e chegada a Inglaterra, Gleitz ostentava o Rolex Oyster, de ouro, a trabalhar na perfeição, quando pousou para os fotógrafos. Um mês mais tarde, a 24 de Novembro de 1927, Wilsdorf lançava o Rolex Oyster no Reino Unido, numa maciça, inédita e milionária campanha de publicidade, que incluiu toda a primeira página do Daily Mail, e onde Mercedes Gleitz era a heroína. Este acontecimento marca o nascimento do conceito de Testemunho até hoje usado pela Rolex. E terá sido a primeira associação de uma celebridade a uma marca relojoeira, numa estratégia concebida por Wilsdorf, considerado um génio do marketing e da comunicação.

Até aos dias de hoje, a Rolex, com essa filosofia de Testemunho, arregimentou durante décadas exploradores e intelectuais, músicos e atletas, gente que por um qualquer motivo se destacou da multidão e projectou o seu valor… com um Rolex no pulso. O tenista suíço Roger Federer, que chega a figurar com um Rolex no pulso num selo emitido pelos Correios helvéticos, é um dos exemplos mais recentes e reconhecidos do “exército” de personalidades que a Rolex usa na sua comunicação. Caso curioso, o de Tiger Woods. A conservadora e ultra-cuidadosa Rolex foi recuperá-lo como embaixador, depois de a TAG Heuer o ter deixado cair, na sequência da saga pública da sua vida privada.

Para além do intrínseco investimento em publicidade e comunicação, a maior parte das marcas relojoeiras usa hoje em dia “amigos” ou “embaixadores” pagos para promoverem os seus produtos. Valerá a pena?

Estudos de mercado, nas sociedades ocidentais, revelam cada vez mais que o consumidor raramente associa a personalidade à marca para a qual está a ser paga para representar. Fruto da massificação dessa táctica de comunicação, que começa a estar saturada. E do facto de muitas dessas personalidades não usarem, no seu dia-a-dia, o relógio da marca com que assinaram contrato, limitando-se a ostentá-lo em eventos organizados por ela…

Na Fórmula 1, a confusão é total. Um piloto pode ser patrocinado por uma marca de relógios e não poder usá-lo se estiver perto do carro que pilota, pois a equipa terá contrato com outra marca concorrente. No futebol, a situação é caricata – a federação de um país tem contrato de exclusividade com uma marca de relógios, os clubes e os respectivos estádios com outra, cada jogador com outras diferentes. Mas, estes últimos, são vistos nas revistas sociais com relógios de quartas e quintas marcas, de que verdadeiramente gostam, e com as quais não têm qualquer contrato.

Vejamos alguns casos concretos. Leonel Messi, jogador do Barcelona, é a imagem da Audemars Piguet, mas o clube tem contrato com a Hublot. Esta última, numa estratégia delineada por Jean-Claude Biver, um dos “magos” actuais da comunicação e marketing relojoeiros, fez acordos com a UEFA e a FIFA e usa hoje em dia nas suas campanhas nomes como os de Maradona e Pelé. O português José Mourinho é, aliás, uma das figuras centrais desta nova campanha, quando ainda há pouco tempo dava a cara pela Delacour

Ainda no futebol, Luís Figo é amigo internacional da IWC, que até editou para o mercado português uma edição limitada do modelo Português Calendário Perpétuo com o seu nome.

Note-se a subtileza – há “amigos” e “embaixadores” globais, internacionais; mas, em cada mercado, há depois embaixadores locais. Isso passa-se muito com os mercados asiáticos, onde os famosos não passam a notoriedade dos seus países ou região para o resto do globo. Com a massificação do turismo asiático, as coisas estão a mudar num aspecto – pontos de venda na Europa ou nos Estados Unidos colocam nas montras fotografias de personagens que… só os turistas de determinados países conhecem. Embaixadores globais, portugueses, para além de Mourinho ou Figo, só há mais um – claro, Cristiano Ronaldo. Depois de ter tido um contrato com uma marca de gama baixa, a Time Force, passou a representar outra de gama alta, a Jacob & Co. Mas mudou-se, no início deste ano para a TAG Heuer, onde é o protagonista da forte campanha da marca, em todo o mundo, e que tem como ideia-base a frase que começa sempre por “teoricamente…” No Caso de Ronaldo, teoricamente, um jogador não marca em todas as partidas; ou, teoricamente, um homem não chora (aqui, mostram-se imagens do português, comovido, ao receber a Bola de Ouro). De qualquer forma, como muitos outros jogadores, Ronaldo é um ávido comprador de relógios e vai continuar a ser visto com peças no pulso que não propriamente só TAG Heuer de aço…

Ainda na TAG Heuer, de assinalar o pioneirismo de Jack Heuer ao procurar e conseguir associar a marca a personalidades da Formula 1, mas sobretudo ao cinema, com um Steve McQueen a usar um modelo Monaco azul no filme Le Mans, de 1971. Numa altura em que ainda nenhuma outra marca o fazia. Imagens de McQueen seriam, aliás, usadas, mesmo após o seu falecimento, para a comunicação da marca.

A sul-africana Diane Kruger tem sido escolhida pela Jaeger-LeCoultre como sua embaixadora para os relógios femininos e para demonstrar a relação privilegiada da marca ao cinema e a certos festivais, como o de Veneza.

A Longines, cujo lema é “a elegância é uma atitude”, usou figuras já falecidas – o par Humphrey Bogard / Lauren Bacall aquando do reposicionamento da marca. E tem mantido uma estabilidade notável nos seus embaixadores, nomeadamente o casal de ex-tenistas Steffi Graf e Andre Agassi, cooperando com eles em acções de solidariedade social. Mas usa também actores como Kate Winslet ou Simon Baker.

Na Omega, obviamente a ligação à figura de James Bond e aos seus filmes faz com que o actor de serviço à série seja também seu embaixador, no caso actual, Daniel Craig. Mas hesitamos quanto a reconhecimento público de outra das imagens da marca – o recém-casado George Clooney será mais o “senhor Nespresso” do que o “senhor Omega”. De qualquer forma, no feminino, a Omega conta com alguém incontornável e de reconhecimento imediato, a australiana Nicole Kidman.

A TAG Heuer, das marcas com maiores campanhas globais, assinava nos anos 1990 um dos clássicos da publicidade, usando o piloto brasileiro Ayrton Senna para declarar “don’t crack under pressure” (não te vás abaixo com a pressão). Hoje, continua ligada à Fórmula 1, com Louis Hamilton, mas também a Leonardo di Caprio. Para os relógios femininos (e o público masculino) há Maria Sharapova, claro. Para além do já citado Ronaldo, o português.

Um dos maiores êxitos de sempre em operações de comunicação associados a uma personagem foi o da Zenith com o austríaco Felix Baumgartner, o primeiro homem a atravessar, apenas com o corpo, a barreira do som, num evento visto em directo por dezenas de milhões de pessoas. No pulso, levava um Zenith El Primero, que chegou ao solo tão em forma como ele.

A Richard Mille tem usado essa táctica à exaustão – os seus embaixadores, sejam eles tenistas, como o espanhol Rafa Nadal, ou pilotos de Fórmula 1, como o brasileiro Felipe Massa, usam mesmo os relógios enquanto em actividade, provando assim em directo a resistência e fiabilidade do que levam no pulso.

Ah… e depois, temos marcas que não precisam de embaixador. Como uma tal Patek Philippe, que usa anónimos modelos retratando situações familiares e inter-geracionais onde se proclama uma frase, também ela, já um clássico no mundo da publicidade: “não és dono dele, apenas o guardas para a próxima geração”. Para certos modelos Patek raros, os famosos inscrevem-se na lista de espera. Garantem-nos da manufactura genebrina que são tratados do mesmo modo que o resto dos clientes. E, claro, muito menos têm direito a relógio de representação.


Chegado ao mercado - relógio Hermès Dressage L’heure masquée


Hermès Dressage L’heure masquée. Calibre automático, da manufactura (H1925), platina principal com perlage e espiralado, pontes acetinadas e massa oscilante com decoração especial Hermès (símbolos H). Indica horas, minutos, segundo fuso horário às 6 horas, função “Tempo Velado”. Caixa de 40,5 x 38,4 mm, tipo almofada, de aço ou ouro rosa. Estanque até 50 metros. Pulseira de pele de aligátor havana, com fecho de báscula

A função "Tempo Velado":

Com o novo Dressage L’Heure Masquée, o ponteiro das horas permanece oculto sob o ponteiro dos minutos, sem nunca parar a marcha do relógio, e surge apenas quando é pressionado um botão integrado na coroa. Se deixar de haver pressão, o ponteiro volta a ficar oculto.

e 500 e 1.000 peças, este divertido cenário é conduzido pela engenhosa interação de racks, pinhões e engrenagens. Uma came faz saltar o ponteiro das horas de seu esconderijo instantaneamente para indicar a hora correta no mostrador. O segundo fuso horário é diretamente conduzido pelo movimento base e ajustado pelo botão oposto à coroa.

Limitado a 500 exemplares de ouro rosa – PVP. 32 900€; e mil exemplares de aço – PVP. 15 700€

Montblanc e revista Variety homenageiam Hilary Swank


A Montblanc e a revista “Variety” organizaram um brunch, no Hotel Maidstone em East Hamptons, aquando do Festival Internacional de Cinema de Hamptons para celebrar a Class Variety’s 2014 “10 actors to Watch”.

Durante o brunch, a Montblanc e a revista “Variety” entregaram à actriz Hilary Swank o prémio “Variety Creative Impact in Acting” pelo portfólio rico e as escolhas profissionais ao longo da sua carreira.

“É uma honra poder contar histórias em poucas horas”, declarou Hilary Swank. “Tornei-me actriz porque gosto de pessoas. É uma oportunidade para mim ter vários papéis, o que enriquece a minha vida.”

Hilary Swank deu alguns conselhos aos jovens atores: “Espero que não tenham nunca medo de cair”.

O prémio “Variety’s 10 Actors to Watch” reconheceu, no passado, jovens talentos como Lupita Nyong’o, Brie Larson, Emily Blunt e Dane DeHaan.

Chegado(s) ao mercado - relógios Kenneth Cole, nova colecção feminina Classic


Kenneth Cole, nova colecção feminina Classic. Caixas e braceletes de aço dourado ou prateado, cristais na luneta. Calibres de quartzo (Miyota 2035). PVP: 165 €

Pré-SIHH 2015 - relógio Ralph Lauren Sporting Collection 45 mm Automative Chronograph


Ralph Lauren Sporting Collection 45 mm Automative Chronograph. Cronógrafo automático, equipado com calibre Jaeger-LeCoultre, exclusivo para a Ralph Lauren (RL751A/1), com data e autonomia de 65 horas. Decorado Côtes de Genève e perlage. Caixa de 45 mm , de aço. Mostrador de madeira. Vidro de safira na frente e no verso. Estanque até 50 metros. Modelo a apresentar em Janeiro no Salão Internacional de Alta Relojoaria, em Genebra. Inspirado no painel de instrumentos do Bugatti Type 57SC Atlantic Coupé de 1938, da colecção do próprio Ralph Lauren.



O Bugatti Type 57SC Atlantic Coupé de Ralph Lauren

Girard-Perregaux homenageia Almodovar com relógio Vintage 1945


A Girard-Perregaux, parceira pelo segundo ano consecutivo do Lumière Film Festival de Lyon, homenageou este fim-de-semana o realizador espanhol Pedro Almodovar, vencedor da edição deste ano do evento.

A manufactura suíça ofereceu a Almodovar um relógio Girard-Perregaux Vintage 1945. Em baixo, Almodovar com o prémio e a actriz francesa Juliette binoche (foto Jean-Luc Mège)


Meditações - Tempo e eternidade

O tempo pode durar
mais que a própria eternidade
pois não tem qualquer idade
que o consiga limitar!

João de Castro Nunes

domingo, 19 de Outubro de 2014

Há dez anos... publicidade relógios Nomos / Importempo, 2004


(arquivo Fernando Correia de Oliveira)

Chegado ao mercado - relógio Breitling Transocean Chronograph Edition


Breitling Transocean Chronograph Edition. Com mostrador de dois tons e contadores de aspecto vintage, tem fundo duplo, inspirado num modelo de 1958 (um relógio de grande precisão, anti-choque, anti-magnético e ultra-resistente à água, e que acompanhou o boom da aviação intercontinental).

Cronógrafo automático (calibre B01), cronómetro certificado COSC, calendário. Caixa de 43 mm, de aço, estanque até 100 metros. Fundo duplo, vidro de safira na frente e no verso. Bracelete de aço, malha milanesa. Há também de pele.




Janela para o passado... telemóveis TMN no ACP, em 1995

Design relojoeiro - relógio INSTRMNT 01, da INSTRMNT


INSTRMNT 01 é o primeiro relógio desenhado pelos escoceses da equipa multidisciplinar de Glasgow INSTRMNT, e de venda exclusiva no Dezeen Watch Store.

Inspira-se no design industrial de meados do século XX. Tem calibre de quartzo suíço (Ronda 585 3H), caixa de 40 mm, de aço revestido a PVD e bracelete de pele. Custa 160 libras. Saiba mais aqui.