Est. June 12th 2009 / Desde 12 de Junho de 2009

A daily stopover, where Time is written. A blog of Todo o Tempo do Mundo © / All a World on Time © universe. Apeadeiro onde o Tempo se escreve, diariamente. Um blog do universo Todo o Tempo do Mundo © All a World on Time ©)

sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

Novas do confinamento - champanhe, chocolate e coffee-table book, relógios Vacheron Constantin

 

Iconografia do tempo


(arquivo Fernando Correia de Oliveira)

Coisas do Ephemera - Santo António não pregou só aos peixes... também falou com as rãs...

Ilustração no Almanaque de Santo António para 1901, no acervo do Arquivo Ephemera, no seu Núcleo do Tempo.

Fernando de Bulhões (1195? - 1231), nascido em Lisboa, tomou o nome de António quando entrou para a Ordem Franciscana. Com dons de oratória extraordinários, estudou Teologia nos mosteiros de São Vicente de Fora (Lisboa) e Santa Cruz (Coimbra). 

Depois de uma passagem pelo Marrocos, vai para Itália. Em 1224, por indicação de São Fancisco de Assis, ensina Teologia na Universidade de Bolonha. É enviado depois para França, onde leciona nas universidades de Toulouse, Montpellier e Limoges.

Em Montpellier, em plena zona de influência do movimento cátaro, luta contra a heresia e aprende a falar a língua d'oc ou falar occitânio. A hagiografia antoniana refere que, nessa cidade, estando a dar aulas aos seus confrades, o ruído do coaxar de rãs num lago vizinho o incomodou. Saiu, invectivando-as para que se calassem. E as rãs ficaram de imediato mudas. Até hoje, dizem os locais, as rãs desse lago adjacente ao mosteiro franciscano de Montpelier terão ficado em silêncio, à espera que Santo António, Doutor da Igreja, lhes indique que já podem voltar a coaxar.

Suetónio relata, na vida de Augusto, o caso maravilhoso do jovem Octávio que manda calar as rãs que coaxavam junto à casa de campo do seu avô. Desde então, acrescenta o historiador, nunca mais se ouviu o coaxar de rãs naquele lugar. O silenciar de rãs é também um episódio recorrente na vida de outros santos.

Wagner Luís, cadeia de lojas Espiral, no Anuário Relógios & Canetas 2021

A edição 2021 do Anuário Relógios & Canetas está nas bancas e inclui uma entrevista a Wagner Luís, fundador da cadeia de lojas Espiral, presente em Angola e Portugal



Memorabilia - luvas relógios Breitling

Doação João Santos

 

Meditações - carregar o passado


Do Facebook

quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

Janela para o passado - há 100 anos - creme para a pele, 1921

Iconografia do tempo - relógio de sol em ementa TAP


(arquivo Fernando Correia de Oliveira)

A peça é referida em História do Tempo em Portugal (2003), Dicionário de Relojoaria (2007) ou Relógios de Sol (2007). Em HTP, por exemplo, diz-se: "existe um relógio de sol equatorial ou universal no Museu de Marinha, em Lisboa, assinado 'marquant le temps vrai et le temps moyen, fait et inventé par André Berthet, horloger à Lisbonnne, 1774' (marcando o tempo verdadeiro e o tempo médio, feito e inventado por André Berthet, relojoeiro em Lisboa, 1774). [...] "Dispondo de dois níveis de bolha de ar, cruzados, para que a sua base fique na posição horizontal, e de uma pequena agulha magnética, para o orientar segundo o plano do meridiano do local onde se encontra, o relógio pode ser usado em latitudes entre 30 e 45 graus. [...] a sua particularidade mais importante e rara é fornecer o tempo médio, ou seja, resolve a chamada 'equação do tempo' (diferença de entre mais 14 e menos 16,5 minutos por ano no movimento aparente do Sol)".
 

Meditações - Vivem todos a hora do presente


Fernandes Costa, Editor do Almanaque Bertrand, na edição para 1917 (arquivo Fernando Correia de Oliveira)

segunda-feira, 11 de janeiro de 2021

Janela para o passado - há 100 anos - carrinhos de bebé Dupont, 1921

As Boas Festas dos relógios Laurent Ferrier


Regras e duração do luto em 1900...


in Almanach Hachette para 1901 (arquivo Fernando Correia de Oliveira)

Há 200 anos... perdeu-se relógio de ouro, de repetição, 1821

Perdeo-se no dia 7. do corrente pela manhã, hum relogio de ouro de; repetição, com huma cadeia de-ouro , sinete de opro lavrado , com pedra ametista liza : quem os achar. e os quizer entregar na rua da Magdalena N.° 98 primeiro andar, receberá cie alviçaras 14X400 réis metal.

in Diário do Governo, quinta-feira, 11 de Janeiro de 1821 (arquivo Fernando Correia de Oliveira)

Meditações - Questão de tempo - da mentira à lenda


in Almanaque Bertrand para 1917 (arquivo Fernando Correia de Oliveira)

domingo, 10 de janeiro de 2021

Janela para o passado - há 100 anos, cigarros Foyer, 1921

Curiosidades do calendário


 in Almanaque Bertrand para 1900 (arquivo Fernando Correia de Oliveira)

Livro do dia - relógios Breitling, catálogo de 2014


Coisas do Ephemera - há 120 anos, como se dividia o tempo de uma vida

Do Núcleo do Tempo do Arquivo Ephemera. Almanach Hachette para 1901. Como era a repartição do tempo numa vida, há 120 anos.


Meditações - O tempo caminha com diverso andar

O tempo caminha com diverso andar, e segundo as pessoas. Com lágrimas vai a passo, com outras a trote, com outras a galope e finalmente com muitas pára-se.

William Shakespeare

sábado, 9 de janeiro de 2021

sexta-feira, 8 de janeiro de 2021